o fardo do angioedema hereditário pode persistir além do ataque

 

Poderá já conhecer os sinais e sintomas de angioedema hereditário (AEH), mas avaliar o seu impacto total nos seus doentes pode ajudar a informar os objetivos de tratamento e o planeamento.

 

o angioedema hereditário limita a forma como os doentes vivem as suas vidas

 

Mesmo depois de os sintomas físicos de um ataque diminuir, um doente ainda pode ser afetado pelo AEH. Para muitos, a antecipação de um ataque de AEH 1 dita o que os doentes podem ou não fazer.1

Devido à natureza imprevisível da doença, alguns doentes relataram níveis elevados de angústia e ansiedade na vida quotidiana. Estes sentimentos são atribuídos a1,2:

  • Vida social interrompida
  • Aspirações educativas perturbadas
  • Ansiedade de ataques futuros
  • Medo de passar o AEH aos seus filhos

Além das ausências e da perda de produtividade, os doentes relataram que o AEH atrapalhou a sua carreira ou educação ao5,6:

  • Impactando escolhas educativas*
  • Evitando que se candidatem a determinados trabalhos
  • Fazendo-os despedirem-se ou mudarem de cargo dentro de uma empresa
bom saber

38% e 14% dos doentes com AEH apresentaram ansiedade e depressão clinicamente significativas, respetivamente, vs taxas de população global de 3,6% e 4,4%.*3,4

 

Por causa disso, os doentes muitas vezes renunciam a1,2:

  • Viagens e férias
  • Alguns passatempos
  • Desportos e outras atividades físicas
  • Eventos sociais

 

Isto vai além do cancelamento de planos—alguns doentes não considerariam planear estas atividades em primeiro lugar.1

Veja e aprenda:

Ouça a experiência de uma doente com AEH com as palavras dela.

Reavaliando o verdadeiro impacto do angioedema hereditário

Veja como você e os seus doentes podem descobrir o fardo do AEH

 

*Com base no questionário de Produtividade Laboral e Compromisso da Atividade-Saúde Geral (N=457), distribuído nos Estados Unidos de
novembro de 2007 a janeiro de 2008.6
†Com base nas respostas quantitativas do inquérito (N=186) no Estudo sobre o Impacto do Angioedema Hereditário de 2011 na Europa.3

 

registe-se para se manter informado